quarta-feira, 5 de junho de 2024

SÁBADOS FEMINISTAS - POLÍTICA & FEMINISMO - PALESTRA NA ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS

 


No dia 15 de junho, sábado, a Academia Mineira de Letras (AML), em parceria com o movimento Quem Ama Não Mata, traz a palestra “Política e Feminismo: conquistas, desafios e violências” que propõe debate sobre a participação das mulheres na esfera pública da política com Branca Moreira Alves - feminista histórica e autora do clássico "Ideologia & feminismo: a luta da mulher pelo voto no Brasil", de 1980, - e a Drª. Marlise Matos - professora e pesquisadora do Departamento de Ciência Política da UFMG e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher (NEPEM/UFMG). O evento acontece no auditório da AML, a partir das 10h, com abertura de portões 30 minutos antes.

Com entrada gratuita e interpretação em Libras, a palestra acontece no âmbito do Plano Anual Academia Mineira de Letras – AML (PRONAC 235925), realizado mediante a Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio do Instituto Unimed-BH – por meio do incentivo fiscal de mais de cinco mil e seiscentos médicos cooperados e colaboradores.


Em alguns países como a Inglaterra, a luta pelo direito ao voto feminino consumiu as energias de várias gerações de mulheres enfrentando a violência social e policial. Hoje, esse direito se estende por quase todo o mundo. Mas como está efetivamente a participação das mulheres na esfera pública da política? Esta edição do Sábados Feministas conta com parceria do NEPEM/UFMG, que, neste ano, completa 40 anos de estudos sobre a mulher. Entre as ações de celebração, o NEPEM lançou a Cartilha Violência Política Contra as Mulheres em Perspectiva Interseccional, na qual enfatiza o que seja o maior obstáculo à participação das mulheres no espaço público: o aspecto racial. Elas enfrentam piadas, gestos, assédio, agressões de caráter verbal, intimidação sexual e, no limite, sendo assassinadas. Também no limite, a própria democracia sendo ameaçada, pois não há justiça social sem o reconhecimento da cidadania negra no país.

Em seu estudo clássico da luta pelo voto feminino no Brasil, Branca Moreira Alves mostra como as sufragistas se valeram de sua situação de classe burguesa para conseguir apoios e fazer alianças. Isso foi efetivo para o sucesso da luta - o direito ao voto, por aqui, foi alcançado em 1932 - mas custou uma não radicalização da luta, uma vez que se limitou à esfera jurídica e não abordou a necessidade de mudanças nos costumes e no papel da mulher, quase sempre restrito ao espaço doméstico, como mãe e esposa a desempenhar suas obrigações do cuidado do lar. Em certa passagem de seu livro, a autora afirma: "O sufragismo sufocou o feminismo". E essa domesticação do feminismo em sua potencial rebeldia é cobrada hoje por movimentos feministas contemporâneos”, diz.

Já Marlise Matos vai mostrar como, nos dias atuais, esse direito é cerceado desde a manifestação do desejo de uma mulher a ser candidata, durante a campanha e, principalmente, depois de eleita: o desprezo pela palavra das parlamentares, a designação para comissões menos importantes, as ofensas pelas redes sociais sempre enfocando o sexo/gênero até ameaças de morte: em Minas Gerais, deputadas ameaçadas trabalham com escolta policial. A professora também vai falar das estratégias para enfrentar esses gigantescos obstáculos de

intolerância política, trazendo dados sobre vereança e prefeituras de Minas, a fim de se reforçar a importância de mulheres votarem em mulheres, comprometidas com os direitos de gênero.

O debate com Branca Moreira Alves e Marlise Matos pretende demonstrar que essa luta é, interseccionalmente, de todas as mulheres, que, apesar dos insistentes desestímulos, não desistem: continuam na luta para exercer plenamente o direito de votar e de serem votadas; de participar da arena política de forma democraticamente crítica e igualmente assertiva.





quarta-feira, 29 de maio de 2024

MAURO SILVA CANTA 'MY WAY'

BAIRRO BARRO PRETO GANHA LOJA/ATELIER DE CERÂMICA


Na última semana de maio, de 2024, foi inaugurada, em novo endereço, a Loja/Atelier Emi Vieira Cerâmica, do Ceramista Emi Vieira, na rua Timbiras, 2850, quase esquina da Rua Araguari, no Bairro Barro Preto, em Belo Horizonte, Capital. O renomado artista recebeu amigos e convidados especiais, para um cocktail comemorativo pela data da inauguração. Ele mesmo fala que a loja não está totalmente pronta, mas falta pouco, considerando a variedade de cerâmicas artísticas e instalações próprias para exposição das peças. Para surpresa dos visitantes, o próprio ceramista recebe a clientela, oportunidade em que troca experiência e dá orientação para melhor satisfação dos apreciadores de sua arte.









terça-feira, 28 de maio de 2024

HOMENAGEM A VALDIR SILVA


Waldir Silva estaria completando hoje, 28.05.2024, 93 anos. E para lembrarmos com saudade, da sua vida vou reproduzir aqui o Programa Talentos de Minas, apresentado por Ronan Oliveira, na Rede Gerais de Rádio, em duas partes, que retrata a rica obra musical de Waldir Silva. O Programa Talentos de Minas foi gravado uma semana após o falecimento de Waldir Silva tornando-se uma importante homenagem. Vale a pena ouvir. Pra relembrar eu, Mauro Silva, canto acompanhando de Waldir Silva e seu cavaquinho de ouro a bela canção “Nosso Juramento”.

domingo, 26 de maio de 2024

HOMENAGEM ÀS MÃES


Homenagem às Mães por Silvia Araújo Motta, Acadêmica ocupa a Cadeira 34 na ACADEMIA DE LETRAS MM CAPITÃO MÉDICO JGR...     Mãe de três filhos Ronaldo (esposa Sheyla); Deusdedit (esposa Thays) e Aristides, aos 34 anos. enteada -filha Heloísa//(esposo James)

Reunião Literária entre Acadêmicos, no Auditório da AOPMBM. PRADO/ CALAFATE.BH.MG.BRASIL.

Edição: João Claudio (Jony)- LCA PHOTOARTS


sábado, 3 de fevereiro de 2024

CARNAVAL 2024 – COROAÇÃO DA RAINHA DO QUEM AMA NÃO MATA



A chamada geral foi no Programa do Tutti Maravilha, da Rádio Inconfidência, com a entrevista das Rainhas do Carnaval do Bloco do Amor - Quem Ama Não Mata. Dinorah Carmo e Christina Lima… Neste sábado, 03-02-2024, aconteceu o Carnaval, com a coração da atual Rainha, Christina Lima, que recebeu a coroa da Dinorah Carmo, com grande animação dos foliões na rua Fernandes Tourinho, 105, na Savassi, em Belo Horizonte, Capital. Marchinhas e muito samba, com a Banda Boca de Sino e amigos. Entre eles, o famoso Fernando Ângelo, mais conhecido e consagrado, como fernandoangeloimitador, que animou os foliões, com muita propriedade nas interpretações de canções carnavalescas. O Carnaval do bloco, que tem como fundamental, a luta do movimento pela não violência e o assédio contra as mulheres, muito comuns neste período carnavalesco, começou às duas horas da tarde deste sábado, se prolongando até às 20 horas. Destaque para as marchinhas de Carnaval do próprio bloco, em forma lúdica, defendendo as mulheres, como  exemplo, os versos -   Violência não! Assédio, também não! Mais alegria e amor no coração! -- O altoastralnews, um jornal de boas notícias, registrou e compartilha com seus seguidores e com todos os internautas, um pouco da folia, desta tarde na Savassi, em BH.